EDUCAÇÃO

Secretário fiscaliza andamento das obras para ampliar acesso de alunos à educação
Elder Maia esteve em três escolas da capital na última semana, fiscalizando o andamento dos serviços e cobrando celeridade


Elder Maia destaca que as fiscalizações são uma ação contínua e devem seguir até a conclusão das obras. (Foto: Luan Oliveira / Ascom Semed)


O secretário Municipal de Educação, Elder Maia, vistoriou na última semana vários canteiros de obras em Maceió. Buscando garantir a celeridade e lisura das construções, Maia esteve nas Escolas Municipais Professor Lenilton Alves Santos e Yêda de Oliveira dos Santos, no Jacintinho e Cidade Universitária, respectivamente, além do futuro Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) do Ouro Preto.

O secretário destaca que as fiscalizações são ações contínuas e devem seguir até a conclusão das obras. “As famílias que serão beneficiadas por esses equipamentos têm pressa, e nós, como gestores, também devemos ter. Firmei um compromisso de estar no chão dos canteiros de obras para garantir que todas as necessidades estão sendo supridas e que as obras estão sendo encaminhadas com a celeridade e a lisura que Maceió exige e merece”.

Na Escola Lenilton Alves, no Jacintinho, Elder Maia presenciou o avanço do novo ginásio que está sendo erguido na unidade e fez um comparativo com as modificações realizadas na Escola Municipal Hermínio Cardoso, em Fernão Velho, que também teve uma quadra esportiva renovada.

“A Escola Lenilton Alves está sendo reconstruída para atender mais de mil alunos aqui no segundo bairro mais populoso da capital. A previsão é que entregaremos em novembro uma escola renovada para essa comunidade”, afirmou.









 
Escola Lenilton Alves recebeu um investimento de R$ 2.8 milhões e terá 10 novas salas de aula. (Foto: Luan Oliveira / Ascom Semed)

A Escola Municipal Lenilton Alves Santos recebeu um investimento de R$ 2,8 milhões e terá 10 novas salas de aula para atender mil estudantes do Ensino Fundamental e 500 da Educação para Jovens, Adultos e Idosos (Ejai), dobrando a capacidade do equipamento. Serão construídos também refeitório, quadra de esportes, laboratório de informática, sala de ciências e outros espaços de convívio para os estudantes e servidores.

“Essa escola está sendo preparada para mil alunos, pois essa comunidade é muito carente de vagas. Com toda certeza, teremos uma escola de primeiro mundo graças ao prefeito JHC, que está sendo atencioso conosco, e ao secretário Municipal de Educação, Elder Maia, que está nos dando suporte o tempo todo”, diz a vice-diretora.










 
No CMEI do Ouro Preto, a construção já está em fase de cobertura e caminha rapidamente para a finalização. (Foto: Luan Oliveira / Ascom Semed)

Já no CMEI do Ouro Preto, a construção já está em fase de cobertura e caminha rapidamente para a finalização. “A previsão é que entre novembro e dezembro a gente conclua esse equipamento e entregue a população daqui do Ouro Preto, que tem muita pressa e carência de um equipamento educacional para deixar suas crianças enquanto trabalham em segurança”, disse o secretário, garantindo continuidade na fiscalização das obras.

A nova creche está orçada em R$ 1,8 milhão e deve atender mais de 200 crianças da região em dois turnos (matutino e vespertino) ou integral. O prédio terá playground, jardins, castelo d’água, solário, fraldário, pátio coberto, refeitório e vários outros equipamentos para garantir a segurança, conforto e educação das crianças, todos com acessibilidade garantida com pisos táteis e mobília adequada.










 
A creche deve atender mais de 200 crianças da região em dois turnos. (Foto: Luan Oliveira / Ascom Semed)

Para Luiz Carlos, líder comunitário do Ouro Preto, esse é um marco para o conjunto. “Esse era um local esquecido. Quem trabalha não tinha onde deixar os filhos. Por isso, estamos tão felizes com o início das obras. É isso que a gente espera: trabalho. Estamos muito animados”, comemorou.

A última visita feita pelo secretário Elder Maia foi da Escola Municipal Yêda de Oliveira dos Santos, no conjunto Village Campestre, na Cidade Universitária. A ordem de serviço da reconstrução da escola foi dada em julho e é a maior obra da Educação em andamento hoje.

“São cerca de 30 operários nessa obra, trabalhando em uma movimentação de terra intensa para liberar o terreno e começar as fundações. A previsão é que, daqui a um ano, esse equipamento esteja pronto”, pontuou o secretário.

Antes com diversos problemas estruturais, a escola será reconstruída com 12 salas de aula, refeitório adequado às normas arquitetônicas, auditório, biblioteca, laboratório de ciências, artes e informática, duas salas multiuso, playgroud, pátio coberto, quadra poliesportiva com vestiário, setor administrativo, cozinha e estacionamento. O investimento total foi de R$ 4 milhões.

“Antes a estrutura era muito precária, não tínhamos um refeitório, um lugar para eles se sentarem e comerem. Não tinha quadra para brincarem, sala de leitura ou de recurso para as crianças da educação especial. Agora teremos tudo isso e muito mais, não é uma reforma, é uma reconstrução. Vai melhorar muito a educação dos nossos alunos, estou muito contente”, avalia a diretora Maria José dos Santos Bernardino.


Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



EDUCAÇÃO  |   14/09/2021 16h11





EDUCAÇÃO  |   10/09/2021 22h15


EDUCAÇÃO  |   30/08/2021 16h13